MEC quer criar vestibular unificado para universidades federais

Brasília – O ministro da Educação, Fernando Haddad, apresentou hoje (25) um projeto para unificar os vestibulares das universidades federais. A ideia é criar um novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que funcionaria como forma de seleção para essas instituições.

A proposta formal será entregue na próxima segunda-feira (30) à Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) para que seja discutida nas universidades. O ministro espera que o novo vestibular possa ser aplicado ainda esse ano, para ingresso dos alunos em 2010.

“Esse assunto é discutido há décadas e nós estamos maduros o suficiente para dar um passo adiante e rever os nossos processos seletivos que hoje padecem de problemas graves. Eles sinalizam mal como deveria ser o currículo do ensino médio”, defendeu Haddad.

Outro ponto positivo da proposta, segundo Haddad, é o fato de que o aluno não precisaria fazer vários vestibulares, mas apenas um que teria validade nacional.

Haddad citou que modelo semelhante é aplicado nos Estados Unidos com a SAT (Scholastic Assessment Test), uma prova única que serve como ingresso para todas as instituições.

A adesão ao vestibular nacional dependerá de cada universidade, que tem autonomia para decidir de que forma poderá incorporar a prova em seu processo seletivo. O modelo do exame ainda será discutido com as instituições. Mas, segundo ministro, a idéia é que seja um meio-termo entre o Enem e o vestibular atual.

“Nós queremos um exame que corrija as distorções do vestibular e do Enem. A forma do Enem perguntar é muito interessante, mas ele carece de conteúdos organizativos do ensino médio. O vestibular é fortemente conteudista, mas na maneira de perguntar distorce a realidade do ensino médio. Nós queremos ter um exame nacional que dê conta do conteúdo, mas de forma inteligente, que julgue a capacidade analítica dos estudantes e promova uma mudança na atuação em sala de aula do professor”, comparou.

Haddad ressaltou que o ministério tem capacidade técnica e logística para elaborar e aplicar o exame em todo país. Segundo Reynaldo Fernandes, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é responsável pela elaboração do Enem, a prova seria dividida em quatro eixos: linguagens e códigos, matemática, ciências naturais e ciências humanas.

As questões seriam de múltipla escolha e a prova contaria também com uma redação. As instituições particulares também poderiam aderir ao novo Enem em substituição ao vestibular.

O presidente da Andifes, Amaro Lins, disse que “não vê objeção” à proposta, mas ressaltou que ela precisa ser discutida dentro das universidade e com a própria sociedade.

Uma reunião com todos os reitores das instituições federais de ensino deverá ser realiza em 15 dias. Segundo Amaro, ainda é preciso “refletir e avaliar”.

“Acho que cabe ao ministério apresentar essas propostas e todo o esforço que pudermos fazer de qualificação dos alunos que terão acesso ao ensino superior, nós faremos”, apontou.

O MEC acredita que o novo Enem poderá substituir o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) que é aplicado aos alunos ingressantes do ensino superior, além do Exame Nacional para Certificação de Jovens e Adultos (Encceja).

“O que nós podemos fazer é racionalizar e oferecer um instrumento novo e eficiente, tanto do ponto de vista da previsão do desempenho acadêmico dos ingressantes, como da organização curricular do ensino médio”, defendeu Haddad.

Fonte: Agência Brasil

Inscrições para o Projovem prorrogadas

As inscrições para o programa Projovem Urbano foram prorrogadas até o dia 28 de março. Os alunos interessados, entre 18 e 29 anos completos até 31 de dezembro de 2009, podem se inscrever em qualquer escola municipal ou no quiosque localizado na praça Júlio de Castilhos, no centro de Viamão. Além de completar o ensino fundamental, os inscritos receberão curso de qualificação profissional e uma bolsa-auxílio de cem reais mensais, durante o período que vigorar o curso.

Viamão apresenta péssimo desempenho em avaliação federal

Os resultados da Prova Brasil 2008, que avalia a evolução do nível de ensino nas escolas públicas (estaduais e municipais) em todo o país, refletiram dados preocupantes para a educação em Viamão. Com a aplicação de provas de Língua Portuguesa e Matemática, os alunos de 4a e 8a séries ocupam os últimos lugares em todos os levantamentos.

Segundo o vereador do PSOL, Romer Guex, os dados traduzem a necessidade de que se aperfeiçoem as políticas voltadas à educação no município: “Os levantamentos envergonham a todos nós viamonenses, principalmente para os operadores da educação na cidade. Se não corrigirmos a situação rapidamente, certamente iremos comprometer o futuro de Viamão”, disse.

Com relação aos resultados da cidade, nas provas de português, os alunos da 4a série ocuparam a posição de n° 253, enquanto os da 8a série, ficaram na colocação 303. Em matemática, os números são semelhantes. Entre os estudantes da 4a série, a colocação foi de n° 260, já entre os alunos da 8°, a posição foi ainda pior, 348. No total, a avaliação foi desenvolvidas em mais de 300 municípios em todo o Estado.

Para exemplificarmos, Viamão está atrás de cidades como Tapes e Osório, perdendo inclusive para regiões litorâneas, como Cidreira e Tramandaí. “Estamos abaixo de cidades que foram emancipadas de Viamão, como o caso de Capivari do Sul. É lamentável, mas os alunos de outras regiões possuem conhecimento maior em matemática e português do que os nossos alunos. É uma triste realidade que precisa ser alterada urgentemente”, afirmou Romer.

Diante dos dados levantados pela avaliação, os números de Viamão são inferiores a quase todos os municípios do estado, inclusive no comparativo com cidades de menor notoriedade. Entre as cidades que integram a chamada região metropolitana, Viamão supera apenas Alvorada. Esteio, Cachoeirinha, Guaíba, São Leopoldo, Novo Hamburgo e a própria Porto Alegre apresentam índices superiores aos obtidos em Viamão.

Avaliação em números

A Prova Brasil foi realizada em 5.387 municípios de todo o Brasil, avaliando 3.392.880 alunos de 4ª e 8ª séries do ensino fundamental, distribuídos em 125.852 turmas de 40.962 escolas públicas urbanas com mais de 30 alunos matriculados na série avaliada. No RS, cerca de 300 municípios integraram a avaliação. Além das provas, os alunos responderam a um questionário que coletou informações sobre o seu contexto social, econômico e cultural.

 Por SAUL Teixeira  
Assessoria de Imprensa Vereador Romer Guex

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *