Boletim de ocorrência delegacia da mulher

No artigo de hoje vais entender melhor sobre boletim de ocorrência delegacia da mulher, no nosso guia explicativo.

Mulheres vítimas de violência doméstica podem, desde o começo do mês, registrar boletins de ocorrência pela internet em estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo e no Distrito Federal, entre outros.

Vale destacar que as punições de crimes contra mulher são definidas pela Lei Maria da Penha.

Como os demais casos registrados pela delegacia eletrônica, os boletins de violência doméstica passam por uma triagem e são encaminhados à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da região de cada ocorrência.

Se o crime está acontecendo no momento ou ocorreu há pouco, a vítima deve acionar a Polícia Militar pelo telefone 190 ou comparecer a uma Delegacia da Polícia Civil.

Boletim de ocorrência delegacia da mulher

Para registar um Boletim de ocorrência delegacia da mulher, a vítima deve se dirigir a delegacia da polícia civil mais próxima para fazer o registo.

Delegacia da mulher
Delegacia da mulher

Felizmente, em alguns casos, pode se fazer o boletim de ocorrência na delegacia online, porém este método se aplica a certos acasos, como os listados abaixo;

  1. Se o crime está acontecendo no momento ou ocorreu há pouco, a vítima deve acionar a Polícia Militar pelo telefone 190 ou comparecer a uma Delegacia da Polícia Civil do Paraná;
  2. Somente a vítima mulher maior de 18 anos poderá registrar ocorrência on-line;
  3. Não é possível solicitar Medida Protetiva de Urgência pela internet. Nesse caso, procure a Delegacia da Polícia Civil mais próxima;
  4. Mulheres vítimas de violência doméstica (desde que tenham mais de 18 anos, no caso de menores, devem se dirigir a delegacia mais próxima para obter assistência).
  5. O conteúdo do Boletim de ocorrência passa por um processo de análise por policiais civis. Caso haja alguma dúvida, a vítima será contatada para esclarecimentos adicionais.

Depois de registrado o B.O, cabe aos delegados ou delegadas responsáveis providenciar as diligências e perícias necessárias, assim como entrar em contato com a vítima, de forma discreta, para saber da necessidade da realização de exames periciais e de medida protetiva, dentre outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *